da Escola Secundária com 3º ciclo de Ferreira Dias

Existem muitos tipos de vírus de acordo com os tipos de ficheiros que infectam. Infelizmente, o mesmo tipo de vírus evolui com os sistemas operativos, adaptando-se às últimas tecnologias e procurando novas formas de atacar os computadores.

Nesta classificação dos vírus não estão incluídas todas as categorias, mas apenas as mais “tradicionais” e a mais utilizadas actualmente.

1 – Worms

 
Os Worms não são propriamente vírus mas, como têm algumas semelhanças com estes e são actualmente a maior ameaça informática deste tipo, são incluídos neste artigo.
Alguns exemplos de Worms são o Sircam, Nimda e BadTrans.
Os Worms têm como principal objectivo a utilização do computador afectado para se propagarem para outros equipamentos, utilizando para isso o envio massivo de e-mails ou as ligações de rede.
Têm uma velocidade de propagação incrível, podendo em poucas horas estar espalhados por todo o mundo.
Chegam normalmente numa mensagem de e-mail com um ficheiro instalador em anexo, gerada por um computador infectado.
Uma vez executado esse ficheiro (cuidado, portanto!), o Worm é instalado no sistema. Normalmente não há infecção de ficheiros, mas são efectuadas algumas alterações ao Sistema Operativo para que o Worm se possa executar de cada vez que o computador é iniciado.
É também frequente que essas alterações causem o mau funcionamento do Sistema Operativo se o Worm for removido do sistema, o que implica a utilização de ferramentas específicas para ajudar à sua remoção. Em alguns casos, pode também haver envio de informação confidencial do equipamento para um endereço na Internet.

2 – Vírus de Boot


Como o próprio nome indica, os vírus desta classe utilizam os sectores de virus 1arranque para se executarem e tomarem controlo cada vez que o computador arranca a partir de um disco contaminado.
Vamos então dar um exemplo do processo:
–>Supõe que um amigo te empresta uma pen cujo sector de arranque está infectado por um vírus de boot.
–>O uso dos ficheiros incluídos nessa disquete não afectará em nada o estado actual do teu computador, ou seja, podes copiá-los e executá-los sem que o vírus integrado no sector de arranque possa fazer nada.
No entanto, há uma excepção: os problemas reais aparecem quando te esqueces de retirar a pen, no momento de iniciar o computador, pois ao arrancar pela pen dará início à execução do vírus.

Por outro lado não te deves esquecer que hoje em dia é possível iniciar um computador através de toda uma gama de elementos de hardware, sejam unidades de armazenamento amovível (unidades zip, jazz, hi-fd, etc) e também CD-Rom ou DVD, para além do habitual disco rígido!

A principal acção deste tipo de vírus é afectar a memória do computador de modo a que não possa ser utilizada para mais nada sem que o utilizador note qualquer alteração.
Os vírus de arranque foram durante muito tempo a grande ameaça da informática.

  • Vírus de Macro

  •  Este tipo de vírus surgiu no final de 1994 e começou a popularizar-se a partir de 95.
    Rapidamente se tornaram os mais perigosos e difundidos, especialmente devido à utilização generalizada do Office e ao aumento da utilização da internet como meio de partilha de documentos.

    Actualmente estão em desuso, tendo sido ultrapassados pelos Worms (Vermes) no que respeita à difusão e perigosidade.
    Convém porém explicar o que é uma macro.
    As macros são sequências automatizadas de comandos. As antigas aplicações em MS-DOS continham uma grande quantidade de comandos que se executavam mediante o carregar em sucessivas teclas, menus, etc. Para uma tarefa simples como imprimir um documento, havia que levar a cabo várias acções o que se tornava aborrecido. Para evitar isto foram criados as macros, que no inicio não eram mais do que simples sequências dos programas armazenadas num ficheiro.

    Com o passar do tempo, passaram a ser pequenos ficheiros executáveis capazes de fazer acções completas. Um exemplo de algumas acções maliciosas que este tipo de vírus pode provocar: infecção do computador por um vírus convencional, apagar ficheiros/documentos do disco rígido, renomear ficheiros, copiar ficheiros pessoais para pastas públicas, enviar ficheiros do disco para moradas de correio electrónico e formatar o disco rígido…



    Seguir

    Get every new post delivered to your Inbox.

    %d bloggers like this: